Até o fim do ano, Fiocruz irá produzir remédio contra o vírus da Aids 19/02/2009

O diretor do Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Eduardo Costa, afirmou esta semana que o laboratório deverá entregar no mês que vem uma proposta ao Ministério da Saúde para o desenvolvimento de dois medicamentos contra a Aids. São eles o Tenofovir, que por não possuir patente, pode ser produzido até o final do ano, e o Atazanafir, cuja patente pertence à Bristol-Myers, e ainda não dispõe de fabricantes de genérico.

CRF-SP nº 50.000 - 18/02/2009

A dra. Daiane Cunha Yano é a portadora do registro profissional de nº 50.000A dra. Daiane Cunha Yano é a portadora do registro profissional de nº 50.000O registro profissional nº 50.000 do CRF-SP já possui um portador. A dra. Daiane Natascha Cunha Yano, 22 anos, graduou-se em Farmácia no semestre passado, na Universidade Bandeirante (Uniban) de Osasco, e agora dá início a sua trajetória profissional. A cerimônia de entrega da carteira e o Juramento do Farmacêutico foram realizados na noite da última segunda-feira (16 de fevereiro), durante a Reunião Plenária do CRF-SP.

Lançado novo medicamento para prevenção de trombose 18/02/2009

Foi aprovada no Brasil a comercialização do etexilato de dabigatrana, um novo anticoagulante oral, inibidor direto da trombina, produzido pelo laboratório alemão Boehringer Ingelheim. O medicamento previne a formação de trombos (coágulos) com baixo risco de interação medicamentosa ou alimentar.

Carnaval favorece a automedicação 17/02/2009

Anti-ácidos estão entre os medicamentos cuja procura aumenta nesta época do anoAnti-ácidos estão entre os medicamentos cuja procura aumenta nesta época do anoÀs vésperas do Carnaval, o que não faltam são pessoas que se dirigem a farmácias e drogarias com um objetivo comum: comprar um “arsenal” de medicamentos que possam combater os efeitos indesejáveis provocados pelos excessos desta época do ano, especialmente o de bebida alcoólica. Em alguns estabelecimentos, a procura por analgésicos, antiácidos e hepatoprotetores – todos isentos de prescrição médica - chega a aumentar 40% em relação a outros períodos.