Revista do Farmacêutico

PUBLICAÇÃO DO CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO
Nº 124 - JAN - FEV / 2016

COMISSÕES ASSESSORAS/ACUPUNTURA

    

O olhar oriental para o câncer

Com poucas contraindicações, a acupuntura se destaca como uma opção terapêutica capaz de proporcionar inúmeros benefícios a pacientes oncológicos

     

 

ISS 0893 07108Acupuntura pode auxiliar pacientes com câncer em diferentes situações e estágios da doença; alívio da dor e redução dos efeitos colaterais da quimioterapia e radioterapia são algumas das principais indicações Há um consenso na comunidade médica de que o câncer não é uma doença única, mas sim um conjunto de moléstias que têm em comum apenas o crescimento desordenado da célula tumoral. Por esse motivo, uma vez diagnosticado, cada caso terá a sua própria patofisiologia e comportamento clínico. O tratamento também será invariavelmente diferenciado, podendo utilizar diferentes classes de agentes quimioterápicos, agentes hormonais, radioterapia e procedimentos cirúrgicos, entre outras intervenções.
Entre as opções terapêuticas que possuem indicação para os pacientes com câncer, a acupuntura vem se destacando por auxiliar doentes que se encontram em diferentes situações e estágios da doença. A técnica da Medicina Tradicional Chinesa pode agir diretamente no alívio da dor e demais sintomas, bem como nos efeitos adversos provocados pelo tratamento. Para aqueles que fazem uso de morfina, a acupuntura chega até mesmo a diminuir consideravelmente sua dosagem; em alguns casos, a suprimi-la do tratamento.
Os benefícios foram apontados em uma pesquisa da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), que comprovou que a acupuntura pode ser empregada para combater complicações decorrentes de cirurgias para a retirada do câncer de mama, diminuindo, até mesmo, o tempo de recuperação de males como a falta de mobilidade dos membros superiores e do linfedema (inchaço nos braços e pescoço provocado por má circulação). Para a pesquisadora Michele Alem, da Faculdade de Ciências Médicas, as agulhas podem até mesmo “ajudar a combater os sintomas mais rápido do que a medicina convencional. ”
O dr. José Ricardo Domingues é farmacêutico acupunturista e atende pacientes oncológicos em seu consultório. Ele lembra que as pessoas que utilizam quimioterapia e radioterapia normalmente apresentam os efeitos colaterais indesejados como vômito, náuseas, e, consequentemente, desidratação. “O organismo fica muito debilitado e, em casos mais complicados, podemos observar um desequilíbrio hidroeletrolítico. A aplicação da acupuntura irá diminuir e acabar com esses efeitos colaterais e indesejados. ”
Outros benefícios esperados são a melhora do sistema imunológico, aumento da disposição e adesão do paciente ao tratamento, proporcionando qualidade de vida. “Todos os pacientes que fazem a quimioterapia e radioterapia podem se beneficiar desse tratamento, pois não existe uma contraindicação”, explica o farmacêutico.
Embora ainda exista alguma resistência por parte de alguns profissionais da área da saúde com relação à acupuntura, essa postura vem mudando e esse trabalho em conjunto vem sendo empregado com muito sucesso. “É muito importante que esse acompanhamento do paciente seja realizado com profissionais habilitados da acupuntura e essa conduta sempre deverá ser tratada juntamente com o médico. Temos hoje muitos casos em que o próprio médico prescreve a acupuntura, pois temos todos a plena ciência de que o maior beneficiário é o paciente e, consequentemente, a sua adesão ao tratamento”, afirma o dr. José Ricardo. 

 

EXPERIÊNCIAS DE SUCESSO

 

pele-inicial tratada-editMelhora na resposta imunológica em paciente com neoplasia no nariz (fotos feitas antes e depois do tratamento com acupuntura)São vários os pacientes que procuram o consultório do farmacêutico, principalmente por indicação médica, e que se tratam com técnicas clássicas de acupuntura (com agulhas), mas também com auriculoterapia, moxabustão, magnetoterapia e laseracupuntura, entre outras.
Em muitos deles, o dr. José Ricardo dá preferência a laseracupuntura associada à auriculoterapia, para evitar as agulhadas em pacientes que já estão muito debilitados e sensíveis. “A associação dessas técnicas apresenta até uma resposta melhor. Observei, inclusive, a redução de neoplasias de pele.”
Por fim, o farmacêutico ressalta ser importante haver sempre o respeito profissional na técnica que cada acupunturista utiliza para desenvolver o tratamento, e, acima de tudo, respeito ao paciente. “É preciso levar em consideração o momento que ele está vivenciando e proporcionar alívio da dor, dos sintomas, dos efeitos colaterais, contribuindo também na melhora da qualidade de vida e na recuperação da saúde.”

 

Por Renata Gonçalez