Medida radical: obesidade é caracterizada como doença pela OMS; estudos demonstram que, desde que usados de forma racional, medicamentos são eficazes para a perda de pesoMedida radical: obesidade é caracterizada como doença pela OMS; estudos demonstram que, desde que usados de forma racional, medicamentos são eficazes para a perda de pesoSão Paulo, 23 de fevereiro de 2011.

O CRF-SP manifesta-se contra o posicionamento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre a proibição dos medicamentos à base de sibutramina e dos anorexígenos anfetamínicos (anfepramona, femproporex e mazindol).  Nesta quarta-feira, 23 de fevereiro, representantes do CRF-SP apresentarão um parecer técnico durante a audiência pública que reunirá diversos setores envolvidos. 

No parecer, o CRF-SP rebate a nota técnica da Anvisa e fundamenta a eficácia dos medicamentos em questão por meio de estudos que demonstram a ação dessas substâncias na perda de peso, desde que utilizadas de forma racional. Para o CRF-SP, a medida é radical, já que a obesidade é uma condição caracterizada como doença pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e não somente uma questão estética.

A entidade destaca que a simples proibição significa negligenciar um problema de saúde pública emergente, já que há um número elevado de indivíduos com sobrepeso no Brasil. Além disso, a proibição pode levar ao uso indevido por meios clandestinos sem acompanhamento médico, um risco incalculável à sociedade.

 

CLIQUE AQUI PARA LER NA ÍNTEGRA O PARECER TÉCNICO DO CRF-SP

 

Thais Noronha

Assessoria de Comunicação CRF-SP

 

CLIQUE AQUI PARA CONSULTAR OUTRAS NOTÍCIAS