A notificação ao ministro da Saúde foi encaminhada na última segunda-feira, dia 17 de agosto. O objetivo é questionar alguns pontos que não foram esclarecidos em relação à produção e distribuição do medicamento oseltamivir, utilizado no tratamento da gripe A (H1N1).

Entre os vários questionamentos feitos na ação destacam-se alguns pontos importantes, como o motivo da demora na distribuição das preparações pediátricas, que somente agora estão sendo realizadas; quando a epidemia efetivamente teve início no Brasil; e os critérios adotados pelo Ministério da Saúde para distribuir o medicamento aos Estados.

O CRF-SP aguarda agora o andamento do processo que está em trâmite na 22ª Vara Federal do Distrito Federal, e mantém seu posicionamento investigativo e questionador para apurar profundamente as ações do ministério na pandemia que se instalou no país.