Dr. André Luis de Moura, coordenador do curso de Farmácia do Centro Universitário São Camilo, Dr. Adriano Falvo, secretário-geral; Dra. Luciana Canetto, vice-presidente e Dr. Marcelo Polacow, presidente do CRF-SP

 São Paulo, 28 de novembro de 2022

Em formato híbrido, presencial para farmacêuticos que foram ao Centro Universitário São Camilo e transmitido pela internet, o CRF-SP realizou nos dias 25 e 26 de novembro um dos maiores eventos de inovação e tecnologia da área farmacêutica no ano, o Simpósio Tendências Farmacêuticas. Em quatro eixos de atividades, mercado de trabalho, cuidado farmacêutico, gestão e tecnologia e inovação, o evento ofereceu mais de 30 palestras, com cerca de 60 palestrantes e quase 80 horas de programação.

A primeira atividade contou com a palestra magna de Alexandre Pellaes, profissional de gestão estratégica de negócios, desenvolvimento de pessoas e pesquisador, que abordou o tema “O futuro do trabalho em um cenário de incertezas”. O palestrante falou sobre as transformações das relações de trabalho, da necessidade de mudança de postura no atual cenário e como ter mais realização na atuação profissional. “Antes a gente tinha que trabalhar com obediência, obrigação e sofrimento. Hoje o olhar deve ser de como a gente influencia as organizações para transformar essa estrutura, ou seja, a ideia de que o trabalho não pode ser um lugar de autorrealização. Olhando para o futuro, vemos que, de fato, o futuro do trabalho será mais humanizado e demandar mais protagonismo”, disse o palestrante.

Diretoria do CRF-SP com Alexandre Pellaes, abaixo o palestrante em sua apresentação

Na abertura da programação, o Dr. Marcelo Polacow, presidente do CRF-SP, agradeceu o trabalho da diretoria, funcionários e grupos técnicos, que se envolveram para a realização do projeto. “Chegar até aqui não foi fácil. Este evento traz o que há de melhor sobre a perspectiva que teremos para o futuro da profissão”, disse. Na oportunidade o presidente fez ainda o lançamento oficial do fascículo da série Cuidado Farmacêutico - Insuficiência Cardíaca, um material técnico que tem o objetivo de embasar o trabalho do farmacêutico na atuação clínica no cuidado a uma classe de pacientes que requerem cuidados específicos e especializados.

Em sua participação, a vice-presidente do CRF-SP, Dra. Luciana Canetto, convocou o público para o próximo grande evento do CRF-SP, que será o Encontro Paulista de Farmacêuticos, no próximo dia 21 de janeiro. “Este será um evento apenas presencial, vamos falar sobre diversidade e inclusão, um tema muito importante para nós, profissionais de saúde e para toda a sociedade”, destacou.

Já o Dr. Adriano Falvo, secretário-geral do CRF-SP, destacou a história do Simpósio Tendências Farmacêuticas, iniciado em 2015, dentro da 18ª edição do Congresso Farmacêutico de São Paulo. “Por mais que tivéssemos uma grade fantástica, os grupos técnicos sentiam a necessidade de incluir outros segmentos de grande importância do âmbito profissional, foi desta forma que tudo começou”, relatou.

A abertura do evento contou ainda com a participação do Dr. André Luiz de Moura, coordenador do curso de Farmácia do Centro Educacional São Camilo, que falou sobre as quase duas décadas da instituição de ensino oferecendo formação para farmacêuticos. “Temos muito orgulho dessa história, esse evento do CRF-SP traz uma ligação ainda maior com o ensino farmacêutico e para firmar nossa tradição na saúde”, disse.

Diretoria do CRF-SP no evento: Dr. Marcelo Polacow, Dra. Luciana Canetto, Dra. Danyelle Marini e Dr. Adriano Falvo

Mercado de Trabalho

No primeiro dia do Simpósio Tendências Farmacêuticas, uma das atividades mais concorridas do eixo de Mercado de Trabalho foi a mesa-redonda “Cenário e Perspectivas do Mercado de Produtos à base de Cannabis. Na ocasião, a Dra. Alessandra Bastos Soares, ex-diretora da Anvisa que participou dos estudos para a elaboração, publicação e implementação da norma que regulamenta a Autorização Sanitária de Produtos à base de Cannabis no Brasil. A palestrante apresentou o cenário e perspectivas do mercado de produtos à base de cannabis, destacou sobre o potencial de movimentação econômica dos produtos deste segmento e sobre o cenário regulatório.

A atividade contou ainda com Carolina de Oliveira Sellani, profissional de Relações Internacionais e coordenadora do Grupo de Trabalho de Insumos de Cannabis da Abiquifi, que tem como objetivo discutir assuntos regulatórios e legislativos sobre o tema, com o intuito de viabilizar a cadeia completa de produção dos medicamentos à base de cannabis no Brasil; e Dra. Kelly Bueno, profissional da indústria farmacêutica e coordenadora Técnica da linha farmacêutica da Gattefossé. A mediação ficou por conta da Dra. Margarete Akemi Kishi, docente e coordenadora do Comitê de Cannabis Medicinal do CRF-SP.

A segunda palestra do dia do eixo mercado de trabalho foi “Entendendo PDE (Permmited Daily Exposure – RDC 658/22): prática e estratégias de segurança”, com o Dr. Marcos Adriano Messias, especialista em toxicologia. O palestrante apresentou as estratégias de obtenção de valores de ADE/PDE.

 

Acima, mesa redonda “Cenário e Perspectivas do Mercado de Produtos à base de Cannabis", com Dra. Alessandra Bastos Soares, Dra. Carolina de Oliveira Sellani, Dra. Kelly Bueno e Dra. Margarete Akemi Kishi - moderadora; abaixo a palestra “Entendendo PDE (Permmited Daily Exposure – RDC 658/22)", Dr. Marcos Adriano Messias e Dra. Silvia Cazenave - moderadora

 

Tecnologia e Inovação

A primeira atividade do eixo tecnologia contou com a participação do palestrante internacional Dr. Vasko Kramer, profissional de larga trajetória em radiofarmácia em seu país, Chile, na mesa-redonda “Inovação no diagnóstico de tumores neuroendócrinos utilizando radiofármacos”. Ele apresentou dados de um novo radiofármaco que ajuda no diagnóstico de tumores neuroendócrinos. “Há muitos pacientes que necessitam de diagnóstico preciso e esse novo radiofármaco pode resolver esse problema e dar acesso a todos os pacientes com uma tecnologia que existe no Chile e no Brasil”, explicou.

A atividade contou também com a participação da Dra. Ana Carolina Bispo, profissional de pesquisa e desenvolvimento e controle de qualidade de radiofármacos. A medicação ficou por conta da Dra. Ana Cláudia Camargo Miranda, coordenadora do Grupo Técnico de Trabalho em Radiofarmácia do CRF-SP, coordenadora do Comitê Técnico Temático de Radiofármacos da Farmacopeia Brasileira (Anvisa), membro do Grupo de Trabalho sobre Radiofarmácia do CFF e membro da Sociedade Brasileira de Biociências Nucleares (SBBN).

A palestra “Inovação na biodiversidade e sustentabilidade, banco de germoplasma de plantas medicinais” foi apresentada pelo Dr. Ilio Montanari Jr., engenheiro agrônomo, mestre e doutor em genética e melhoramento de planta. A atividade foi moderada pela Dra. Nilsa Wadt, coordenadora do Grupo Técnico de Trabalho de Plantas Medicinais e Fitoterápicos do CRF- SP. Para concluir as atividades do dia do eixo tecnologia, o Dr. Ricardo D'Agostino Garcia apresentou o painel “Tendências em Cosméticos”, com moderação do Dr. Gustavo Lemos Guerra.

Acima, mesa-redonda “Inovação no diagnóstico de tumores neuroendócrinos utilizando radiofármacos”;  com Dr. Vasko Kramer, Dra. Ana Carolina Bispo e Dra. Ana Cláudia Camargo Miranda - moderadorano meio, a palestra “Inovação na biodiversidade e sustentabilidade, banco de germoplasma de plantas medicinais”;  com Dr. Ilio Montanari - Jr e abaixo, o painel “Tendências em Cosméticos” 

Cuidado Farmacêutico

Quando se fala em tendências, um tema que não pode ficar de fora é consultório farmacêutico e ele foi abordado no primeiro painel do eixo Cuidado Farmacêutico. A experiência do farmacêutico da cidade de Canindé (PI), Dr. Mario Rezende que virou referência na região em sua farmácia de manipulação especializada em emagrecimento e fortalecimento muscular. Outros nichos que podem ser oportunidades ao farmacêutico que pretende apostar nos consultórios são áreas bastante procuradas como acupuntura e procedimentos estéticos, ambas abordadas durante o painel.

Outro tema que tem o farmacêutico como importante profissional em doenças respiratórias, tendo em vista que muitos pacientes utilizam errado os dispositivos inalatórios, mais um motivo para que os profissionais se capacitem e estejam aptos às orientações sobre o uso correto de bombinhas nasais, inaladores e nebulizadores.

Um dos parceiros do Simpósio foi a Nestlé que por meio da nutricionista Patrícia Freitas ressaltou a importância de cuidar da microbiota. “A microbiota é como uma impressão digital, cada um tem a sua e todas são diferentes. Temos a oportunidade de cuidar da microbiota das crianças pensando na prevenção de doenças”. Quando se fala em cuidado, nada mais humanizado do que cuidado paliativo, e nessa área, a contribuição do farmacêutico clínico na finitude da vida foi destacado em uma das mesas-redondas do dia 25/11. “A avaliação da prescrição, as interações medicamentosas, o controle dos sintomas, a escuta ativa, a desprescrição, além de todo o contexto familiar fazem parte do trabalho do farmacêutico”, ressaltou uma das palestrantes, a Dra. Larissa Vilares.

O primeiro dia do eixo Cuidado Farmacêutico foi encerrado com uma das tendências da área e que tem sido bastante comentada, a telefarmácia. Apresentada por Dr. Jauri Siqueira Jr., a palestra enfatizou as bases legais da resolução CFF nº 727/22 como as definições de Teleconsulta farmacêutica; Teleinterconsulta; Telemonitoramento ou televigilância e Teleconsultoria. “Os profissionais no Brasil vão se informatizar cada vez mais e se formar farmacêuticos digitais, assim como já acontece há 35 anos nos EUA.” Dr. Jauri também chamou a atenção para diferença entre a telefarmácia e consultas via WhatsApp que não podem ser consideradas, pois não são regulamentadas.

Foto 1 - Painel - Vivências e desafios no Consultório Farmacêutico - Áreas promissoras - Dra. Halika Groke, Dr. Mário Rezende, Dra. Juliana Cardoso e Dr. Marcelo Buzanelli /Foto 2 - Palestra - Cuidado farmacêutico em doenças respiratórias: afinal, como o farmacêutico contribui? Dra. Juliana Soprani e Dra. Isabelle Evelyn Viana Borges / Foto 3 - Palestra - Modulação da microbiota intestinal pelos probióticos - Dra. Patrícia Freitas e Dra. Thaís Adriana do Carmo / Foto 4 - Mesa-redonda - A finitude da vida e os avanços na contribuição do farmacêutico clínico no cuidado paliativo - Dra. Emily Messias, Dra. Larissa Villares e Dra. Juliana Candido / Foto 5 - Palestra - Telefarmácia - Uma Nova Tendência - Dr. Jauri Siqueira Jr e Dra. Fátima Farhat

 

Gestão

A primeira atividade do eixo Gestão foi a palestra “A Importância do farmacêutico para o Autocuidado”, apresentada pela Dra. Cintia Mendes Pereira, consultora com atuação nas áreas regulatória, desenvolvimento de negócios e marketing, e moderada pela Dra. Adryella Luz, mestre em infectologia e conselheira do CRF-SP. A atividade foi promovida pela empresa Acessa.

Para a palestrante, a farmácia é um ponto de contato muito importante com o paciente e o farmacêutico precisa aproveitar esse acesso para oferecer opções de autocuidado e orientar o seu público. “Mais de 75% das pessoas no Brasil visitam a farmácia uma vez por mês ou mais. Isso faz a gente ter uma visão de como é a jornada dela de cuidado e aquisição. A partir daí a gente pode criar uma rotina de orientação e apoio ao desenvolvimento no autocuidado”, comentou.

Na sequência, foi apresentado o painel “Estratégia de saúde digital: Informações em saúde, Indicadores e a Prática Farmacêutica no SUS”, que contou com as participações do Dr. Douglas Andreas Valverde, profissional que atua com Healthcare Data Science e Real World Evidence, utilizando grandes bases de dados estruturados para geração de evidencia em saúde; Dra. Karina Fatel, docente e diretora técnica de assistência farmacêutica da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo; e Dr. Fernando Pugas, diretor técnico de saúde do Núcleo de Assistência Farmacêutica do DRS VI Bauru. A atividade teve moderação da Dra. Maria José Martins de Souza, gerente de assistência farmacêutica da Fundação para o Remédio Popular (FURP).

 Uma mesa-redonda destacou uma tendência da farmácia hospitalar, a automação e indicadores na nova gestão hospitalar farmacêutica. Dr. Fabio Ferracini destacou alguns artigos que evidenciam a quantidade de erros de medicação que acontecem nos hospitais e as ferramentas que estão sendo cada vez mais utilizadas para que esses problemas sejam detectados o quanto antes. “Existem estudos que mostram que pular de bungjump, escalar uma montanha, passar um dia em Chernobil são situações mais seguras do que passar um dia em um hospital”. Já Dr. Leandro Ferracini detalhou todo o circuito do medicamento dentro do hospital desde o recebimento, passando pela unitarização, almoxarifado, dispensação e muitos outros caminhos até a alta do paciente. Também como parte da mesa-redonda, foi abordado o impacto clínico e econômico das intervenções farmacêuticas.

Outro parceiro do Simpósio, a NeoQuímica contou com um representante que contou sua experiência desde que atuou em farmácias de bairro, passando por redes onde sempre se destacou por sua proximidade com os pacientes, o que abriu as portas para entrar na indústria farmacêutica e hoje, Dr. Gustavo Tavares, realiza treinamentos para mais de 2 mil pessoas e ressalta que é uma área cheia de oportunidades ao farmacêutico. 

Foto 1 - “A Importância do farmacêutico para o Autocuidado”, com Dra. Cintia Mendes Pereira; Foto 2 - painel “Estratégia de saúde digital: Informações em saúde, Indicadores e a Prática Farmacêutica no SUS” Foto 3 – Mesa-redonda - Automação e indicadores na nova gestão hospitalar farmacêutica - Dr. Fábio Ferracini, Dra. Heloísa de Souza Castilho, Dr. Leandro Ferracini e Dra. Karine Dal Paz Foto 4 - Palestra - Carreira farmacêutica: do balcão para a maior indústria farmacêutica do Brasil - Dra. Gabrielle Gimenes Lima e Dr. Gustavo Silva Tavares

 

 

Segundo dia – Sábado (26/11)


Mercado de Trabalho

O eixo “Mercado de trabalho”, no segundo dia do Tendências farmacêuticas, iniciou suas atividades com o painel “Maratona Mercado de Trabalho - Habilidades para atuação”.

Primeiramente, Dra. Gabrieli Guglielmi apresentou as habilidades para atuar em Farmácia Clínica. Entre elas, Dra. Gabrieli citou: atenção a detalhes, capacidade de concentração e de observação, curiosidade e espírito de investigação, facilidade para matemática, gosto pela pesquisa e pelos estudos, habilidade para transformar ideias em ações, entre outras.

Logo após, Dr. Mário José Rezende Lopes Costa explicou como o profissional pode atuar no setor de Acupuntura. Ele destacou as Resoluções do CFF nº 353/2000, 516/2009 e 710/2021, que dispõem sobre o exercício de acupuntura pelo profissional farmacêutico, define os aspectos técnicos do exercício da Acupuntura na Medicina Tradicional Chinesa como especialidade do farmacêutico e fala sobre as atribuições do farmacêutico nas práticas integrativas e complementares no âmbito da medicina tradicional chinesa, respectivamente.

A maratona deu sequência com a apresentação do Dr. Edson Faco da Cruz, que trouxe as habilidades para atuação na Farmácia Hospitalar. Para a parte técnica, Dr. Edson explicou a importância da pós-graduação na área de atuação preferida, conhecimento em Tecnologia da Informação, dispositivos tecnológicos, armazenamento em Nuvens e Inteligência Artificial e o investimento na carreira. Para além do conhecimento técnico, ele destaca a importância da atuação com ética e compromisso, responsabilidade e assiduidade, resiliência e paciência, trabalho em equipe, ser motivador, humildade e ser comunicativo, etc.

Dra. Lygia Leão Fernandes foi a próxima palestrante e abordou as questões da residência farmacêutica e multiprofissional. Ela explicou que a residência Multiprofissional é recente no Brasil, porém é um estudo conceituado nos Estados Unidos e que tem como pontos positivos ser um diferencial no currículo, ser multiprofissional, ter experiência na prática, diversidade de áreas de aprendizado, maior chance de empregabilidade, ser uma pós-graduação remunerada, uma formação completa e aprender a lidar com situações críticas do dia-a-dia.

Na continuidade do painel, Dra. Rosana Mastellaro fez sua apresentação sobre a Indústria Farmacêutica, que traz um cenário tecnológico complexo, uma importante interação entre homem e máquina e onde é necessária uma ampla adaptação do profissional. “Entre as atividades do farmacêutico no setor estão a regularização das empresas, atuação com registro e pós-registro de produtos, resposta de exigências, interface com autoridade e inteligência regulatória”, citou.

Dr. André Luiz Teroso Ribeiro foi o ministrante que falou sobre toxicologia. “É a área que estuda os efeitos adversos de agentes químicos, físicos ou biológicos em organismos vivos ou no meio ambiente”, apresentou.

Dr. Paulo Caleb também estava presente no eixo de Mercado de Trabalho e explicou a empregabilidade do setor farmacêutico. É importante ter habilidades técnicas e habilidades comportamentais. Segundo ele, entre as principais soft skills para a área da Saúde estão a comunicação clara, a humanização, a proatividade, a adaptabilidade, a empatia, a ética, a criatividade, a liderança e a inteligência emocional.

Dra. Daniela Camarinha finalizou o painel com a apresentação ‘Caminho para o sucesso’. “Precisamos mudar a forma como sempre trabalhamos e entender a diferença entre saúde e doença.  Ter uma visão mais completa da experiência do paciente e a capacidade de aproveitar insights para realizar melhorias”, explicou.

 No período da tarde, Dra. Natalia Alencar apresentou a palestra: “O que orientar sobre nutrição adequada?”, do patrocinador Nestlé.

O setor de suplementos alimentares também foi apresentado no eixo. A responsável pela explanação foi a Dra. Kennya Macedo, que falou sobre os aspectos micro e macro do setor, trazendo seu relato de experiências no mercado de trabalho de suplementos alimentares.

Outra área em ascensão no mercado de trabalho farmacêutico é a Farmácia Veterinária, que não poderia deixar de estar presente no Simpósio. A apresentação do setor foi realizada pelo Dr. Anderson Freire Carniel, que falou sobre as tendências do setor, como fitoterapia, suplementação Nutricional e performance de formas farmacêuticas com excipientes adequados e blend x nanovetorização.

Foto 1 - Painel - Maratona Mercado de Trabalho - Habilidades para atuação - Dr. Edson Faco, Dr. Mário José Costa, Dra. Lygia Fernandes, Dra. Rosana Mastellaro, Dra. Telma Martins Kulinarium, Dra. Daniela Camarinha, Dr. Paulo Caleb, Dra. Gabriei Gyglielmi e Dr. André Ribeiro / Foto 2 - Palestra Nestle - O que orientar sobre nutrição adequada? - Dr. Rafael Guzella, Dra. Danyelle Marini e Dra. Natalia Alencar / Foto 3 - Palestra - Suplementos Alimentares do micro ao macro - Dra. Kennya Macedo e Dra. Priscila Dejuste / Foto 4 - Palestra - Farmácia Veterinária e suas potencialidades em um mercado crescente - Dr. Anderson Carniel e Dra. Susane Meyrer

 

Tecnologia e Informação

No eixo “Tecnologia e inovação farmacêutica”, o Tendências farmacêuticas abordou no segundo dia a utilização das terapias avançadas e biofármacos, apresentando as mais recentes aplicações no tratamento das doenças.

Dra. Roselena Schuh apresentou as terapias avançadas, citando as diferenças entre as terapias celulares e gênicas.

Já Dr. Marco Antônio Stephano abordou os biofármacos, biossimilares e biobetters: segurança, eficácia e intercambialidade.

A Medicina Tradicional Chinesa também foi contemplada no eito Tecnologia. Os Drs. José Ricardo Domingues e Marcelo Buzanelli falaram sobre os recursos modernos que podem ser aplicados às MTC, como o Ryodoraku e o Laser na Acupuntura. Além da teoria, os farmacêuticos realizaram um exemplo prático, mostrando como funciona o Ryodoraku atualmente.

A tecnologia também está inserida para melhorar a inclusão e, por isso, os avanços na tecnologia assistiva para pessoas com deficiência visual e auditiva foram apresentadas pela Dra. Abia Cristina Felippe, Dra. Grayce Miguel França e Dr. Luiz Carlos Lopes, que representou a Secretaria de Pessoas Com Deficiência do município de São Paulo. Enquanto Dra. Abia destacou a importância da linguagem em libras para o atendimento farmacêutico, Dra. Grayce falou sobre o projeto “Farmácia para cego ver”, que utiliza da tecnologia para incluir as pessoas com deficiência visual na dispensação e tratamento medicamentoso.

O eixo foi finalizado com chave de ouro com o workshop “Avaliação cognitiva e o progresso no diagnóstico das fases iniciais de declínio ou pré-demência com o uso de ferramentas tecnológicas”, apresentado pelo Paulo Bragança Rangel Filho e moderado pelo Dr. Gustavo Alves. 

 Foto 1 - Painel Utilização das terapias avançadas e biofármacos: Apresentando as mais recentes aplicações no tratamento das doenças - Dr. André Luiz de Godoi, Dr. Marco Antônio Stephano e Dra. Roselena Schuh / Foto 2 - Painel - Recurso aplicados à Medicina Tradicional Chinesa: Ryodoaraku e Laser na Acupuntura - Dr. Marcelo Buzanelli, Dr. José Ricardo Domingues e Dr. Carlos Alberto Kalil Neves / Foto 3 - Mesa-redonda - Os avanços na tecnologia assistida para pessoas com deficiência visual e auditiva - Dr. Luiz Carlos Lopes, Dra. Abia Felippe, Dra. Danyelle Marini e Dra. Grayce Miguel França / Foto 4 - Palestra - Avaliação cognitiva e o progresso no diagnóstico das fases iniciais de declínio ou pré-demência com o uso de ferramentas tecnológicas - Paulo Bragança Rangel Filho e Dr. Gustavo Alves dos Santos

Cuidado Farmacêutico

Também no Eixo Cuidado Farmacêutico, a programação foi movimentada durante o sábado, iniciando com a palestra Farmacogenética – uma nova tendência, com participação da Dra. Carolina Martins do Prado. Segundo ela, existem diferentes fatores que podem interferir na absorção e biodisponibilidade de um medicamento, o que leva a uma extensa variabilidade de fenótipos de resposta.

“Dessa forma, o teste farmacogenético tem, sim, algumas vantagens sobre outros testes preditivos, auxiliando na monitorização terapêutica, podendo ser usado para a escolha do melhor fármaco antes do início do tratamento”, explicou a especialista.

As demais atividades promoveram um debate intenso com ministrantes renomados sobre temas de amplo interesse dos farmacêuticos, como as oportunidades e tendências da prescrição farmacêutica, o futuro da farmácia comunitária e a formação para o cuidado e a integração com as novas tecnologias para atendimento em saúde.

Foto 1 - Palestra Farmacogenética - uma nova tendência - Dr. Francisco Sandro Menezes Rodrigues e Dra. Carolina Martins do Prado / Foto 2 - Mesa-redonda Prescrição Farmacêutica - oportunidades e tendências - Dra. Gislaine Ricci, Dra. Valéria Antunes, Dr. Lucas Portilho e Dra. Priscila Dejuste / Foto 3 - Painel - A farmácia comunitária - o que aprendemos e para onde vamos? - Dra. Damaris Marcelino Vieira, Dr. Mario Rezende e Dra. Giselle Silva Calais / Foto 4 - Mesa-redonda - A formação para o cuidado e a integração com as novas tecnologias para atendimento de saúde: Dra. Marise Bastos Stevanato, Dra. Ana Cristina Lo Prete, Dra. Agnes Gossenheimer e Dra. Angelita Cristina de Melo

 

Gestão

No sábado, o Eixo Gestão deu continuidade à programação com cinco atividades que trouxeram abordagens inovadoras em diferentes áreas, como a palestra sobre o impacto da implantação de programa de Stewardship e o painel LGPD, Big Data e todos os desafios que cercam a era digital. 

Na primeira apresentação, a Dra. Laura Czekster Antochevis contextualizou o Stewardship, definido como uma coleção de estratégias interprofissionais coordenadas para otimizar o uso de antimicrobianos, à questão da resistência bacteriana e ao cenário pós-covid-19, em que ainda é avaliado o possível aumento de casos devido ao maior número de prescrições de antibióticos em pacientes hospitalizados durante a pandemia, estimado em 80% de acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC).

Já no painel sobre os desafios na era digital, destaques para a palestra da advogada Dra. Marina Jacob Lopes, que falou sobre a LGPD e uso dos dados de receituários eletrônicos na gestão de saúde populacional, e para a apresentação sobre Big Data e Centros de Pesquisa Virtual, ministrada pelo consultor médico de inovação e tecnologia Dr. Carlos Sacomani.

“A Big Data faz referência ao grande volume, variedade e velocidade de dados que demandam formas inovadoras e rentáveis de processamento de informação, para melhor percepção e tomada de decisão”, pontuou o palestrante.

Quem acompanhou as atividades do Eixo Gestão ao longo do dia também pôde assistir às apresentações sobre franquias e associativismo como modelo de negócio, uso de metodologias ágeis na gestão farmacêutica e gestão de logística reversa de medicamentos e suas embalagens.

Foto 1 - Painel Franquias e Associativismo como modelo de negócio - Dr. Rogério Lopes, Dr. Rinaldo Ferreira, Dr. Marcos Machado e Dr. Carlos Massoni Garcia / Foto 2 - Palestra - O impacto da implantação de programa de Stewardship - Dra. Laura Antochevis e Dra. Raquel Queiroz / Foto 3 - Painel - Uso das metodologias ágeis na gestão farmacêutica - Dr. Paulo Granjeiro, Dra. Claudia Caresatto e Dra. Alessandra Petraroli / Foto 4 - Painel - LGPD, Big Data e todos os desafios que cercam a era digital - Dra. Sueli Ogata, Dra. Ana Tarina Lopes, Dra. Marina Lopes e Dr. Luiz Gustavo Kiatake / Foto 5 - Painel - Gestão da Logística Reversa de Medicamentos e suas embalagens - Dr. Juan Carlos Becerra Ligos, Dra. Raissa Carvalho Pereira, Dr. Diego Xavier da Silva e Dra. Roseane Garcia

 

Carlos Nascimento, Monica Neri, Renata Gonçalez e Thais Noronha 

Departamento de Comunicação CRF-SP

 

CLIQUE AQUI PARA CONSULTAR OUTRAS NOTÍCIAS

Fique atualizado sobre capacitações e informativos importantes do CRF-SP. Participe do canal de Telegram e mantenha-se informado!
https://t.me/crfsp_cursosenoticias