CRF-SP reforça papel do farmacêutico na linha de frente contra a covid-19 e a consequente necessidade de ser público prioritário para vacina

 

 Dr. Marcelo Polacow, vice-presidente do CRF, e Dr. Marcos Machado, presidente do CRF-SPDr. Marcelo Polacow, vice-presidente do CRF, e Dr. Marcos Machado, presidente do CRF-SP

 

São Paulo, 27 de janeiro de 2021

Desde o início da pandemia da covid-19 no país, o CRF-SP tem realizado ações que buscam orientar, informar e atualizar o farmacêutico em relação às particularidades que circundam esse vírus. Da mesma forma, a entidade tem buscado também defender o farmacêutico dos riscos relacionados à doença e seu papel como profissional essencial para saúde de todos. Por isso, a entidade está tomando todas as ações possíveis para que os farmacêuticos estejam nos planos prioritários de imunização nacional, estadual e municipais.

Antes mesmo da primeira vacina ser aplicada no Brasil, a diretoria se reunia junto às principais lideranças para debater estratégias e demonstrar o papel do farmacêutico como profissional da linha de frente contra a covid-19. Tanto é que, em 13 de janeiro, o presidente e o vice-presidente da entidade, Dr. Marcos Machado e Dr. Marcelo Polacow, foram recebidos no Palácio dos Bandeirantes pelo secretário chefe da Casa Civil do governo do Estado de São Paulo, Antônio Carlos Rizeque Malufe, e pelo chefe de gabinete da Casa Civil, Carlos Takahashi, para enfatizar essa atuação dos farmacêuticos na linha de frente.

Na ocasião, Dr. Marcos relatou: “Praticamente os únicos dois locais que não fecharam em nenhum momento foram os hospitais e as farmácias, que se mantiveram ativas no período mais crítico como fonte de orientação sobre a doença. Não houve quem não passasse por uma farmácia em 2020”. O presidente do CRF-SP reiterou que os farmacêuticos, como profissionais de saúde, sofrem grande exposição ao vírus e, por isso, é importantíssimo que sejam imunizados, para que possam continuar contribuindo no enfrentamento da pandemia.

Dessa maneira, caso os farmacêuticos de qualquer município do Estado percebam que na sua região não estão contemplados pelo plano de imunização, informem ao CRF-SP, para que sejam tomadas as medidas cabíveis.

Abaixo, lista-se os principais motivos que demonstram atuação dos farmacêuticos na linha de frente da pandemia:

  • Desde que se iniciou a pandemia, as farmácias mantiveram suas portas abertas, prestando todo o atendimento à população;
  • Os farmacêuticos mantiveram seus atendimentos e orientações aos pacientes diariamente nas farmácias, mesmo os pacientes com recém-diagnóstico de covid-19;
  • Os farmacêuticos realizam exames de covid-19 nas farmácias para ampliar o acesso e desafogar o sistema de saúde, desde a primeira onda da contaminação no país;
  • Também há farmacêuticos atuando na saúde pública, nos hospitais, nos laboratórios de análises clínicas e em diversas outras áreas que os colocam em contato direto com pacientes
  • Os farmacêuticos constam no Plano Nacional de Imunização para covid-19 do Ministério da Saúde e, portanto, devem estar priorizados também nos planos estaduais e municipais. Confira na página 20 (grupos prioritários a serem vacinados) e na página 89 (descrição dos grupos prioritários) do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a covid-19 - clique aqui para acessar o documento.

Clique aqui e veja o vídeo do presidente do CRF-SP, Dr. Marcos Machado, e do vice-presidente do CRF-SP, Dr. Marcelo Polacow, sobre a necessidade de o farmacêutico ser público prioritário para vacina contra a covid-19 no Estado de São Paulo e em todo o país.

Departamento de Comunicação CRF-SP

CLIQUE AQUI PARA CONSULTAR OUTRAS NOTÍCIAS 

 Fique atualizado sobre capacitações e informativos importantes do CRF-SP. Participe do grupo de WhatsApp e mantenha-se informado:

https://chat.whatsapp.com/KG09Ci7QDtqBnGrL00gFTX