EM DEFESA DA SOCIEDADE E DA PROFISSÃO

Plenária debate credenciamento de serviços farmacêuticos em planos de saúde

 

Diretoria e conselheiros do CRF-SP durante reunião plenária do CRF-SPDiretoria e conselheiros do CRF-SP durante reunião plenária do CRF-SPSão Paulo, 21 de agosto de 2018

O CRF-SP promoveu na última segunda-feira, 20, durante reunião plenária transmitida ao vivo em seu portal, uma importante discussão acerca do credenciamento em planos de saúde de farmacêuticos para atuação nas áreas clínicas (serviços farmacêuticos) e acupuntura.

O tema foi apresentado pelo Dr. Marcos Machado, presidente do CRF-SP, e pelo Dr. Jauri Siqueira Junior, gerente farmacêutico e farmacêutico orientador de uma rede que atua com consultórios e serviços farmacêuticos e vacinação.

Dr. Marcos Machado, presidente do CRF-SPDr. Marcos Machado, presidente do CRF-SPAlém dos conselheiros, estava presente a Dra. Ana Paula Alonso, advogada e representante da Associação Brasileira de Planos de Saúde (Abramge), que acompanhou as apresentações e recebeu um ofício do CRF-SP para entregar ao Dr. Reinaldo Camargo Scheibe, presidente da associação.

Dr. Marcos apontou como o farmacêutico pode contribuir com as operadoras de planos de saúde. “Entre os medicamentos mais vendidos do Brasil estão anti-hipertensivos, hormônios, antilipemiantes, insulina e antidiabéticos. Muitos desses são medicamentos usados para tratamento de doenças crônicas que precisam de boa adesão ao tratamento, cuidados, atenção, utilização nos horários corretos e cuidados com interações medicamentosas e que geram um custo extra com os medicamentos e com mais consultas. Nesse sentido, o farmacêutico pode ajudar o sistema de Saúde Suplementar”, apontou.

Dr. Jauri Siqueira Junior, gerente farmacêutico e farmacêutico orientador Dr. Jauri Siqueira Junior, gerente farmacêutico e farmacêutico orientador Na mesma linha, Dr. Jauri trouxe dados que demonstram a má adesão ao tratamento e o papel do farmacêutico para a saúde da população e para a economia de recursos em saúde, apresentando vantagens aos planos de saúde. “Mundialmente, 50% de todos os medicamentos são prescritos, dispensados ou utilizados inadequadamente. A adesão ao tratamento de longo prazo em países desenvolvidos é em torno de 50%. A percentagem em países em desenvolvimento é ainda menor. Se fosse promovido corretamente o uso correto de medicamentos, a economia mundial em saúde seria algo em torno de 370 mil milhões de euros por ano”, ressaltou.

Dra. Ana Paula Alonso, advogada e representante da AbramgeDra. Ana Paula Alonso, advogada e representante da AbramgeAlém da adesão ao medicamento, a nova farmácia no Brasil pode oferecer uma série de serviços clínicos, como a prescrição farmacêutica, a consulta farmacêutica, a vacinação e a prescrição de exames para acompanhamento farmacoterapêutico, por exemplo. Também pode realizar programas de saúde que contribuam para a prevenção de doenças crônicas e outros males à saúde.

Leia aqui a íntegra do ofício encaminhado à Abramge.

 

Monica Neri

Departamento de Comunicação CRF-SP

CLIQUE AQUI PARA CONSULTAR OUTRAS NOTÍCIAS 

Faltam

poucos dias

para o

EAD - Academia Virtual de Farmácia