Fórum Interno discute Direitos e Prerrogativas Profissionais no CRF-SP

 


Fórum Interno discute Direitos e Prerrogativas Profissionais no CRF-SP

 

 

São Paulo, 21 de agosto de 2015 

O CRF-SP promoveu no dia 31 de julho o Fórum Interno de Direitos e Prerrogativas Profissionais em sua sede, em São Paulo. Participaram voluntários da entidade de todo o Estado, entre eles diretores regionais, coordenadores de Comissões Assessoras e presidentes de comissões éticas. Também estiveram presentes representantes do Sindicato dos Farmacêuticos no Estado de São Paulo, Sinfar-SP.

Durante a abertura do evento, o presidente do CRF-SP, dr. Pedro Menegasso, falou sobre a importância do comitê e da necessidade dos farmacêuticos conhecerem seu direitos e quem pode ajudá-los. “É importante que o farmacêutico saiba a diferença entre os papeis dos conselhos profissionais e dos sindicatos. Muitas das dúvidas que aparecem em relação aos direitos e prerrogativas não são de responsabilidade do CRF-SP. Mesmo assim, criamos esse comitê para dar apoio ao sindicato e esclarecer aos farmacêuticos seus direitos. Temos que avançar nessa discussão para propor soluções aos problemas que têm afetado nossa profissão”, afirmou.

O fórum foi dividido em três partes. Na primeira, a coordenadora do Comitê, dra. Maria Fernanda Caravlho, apresentou as ações e como surgiu a ideia desse projeto. “O Comitê foi criado para estudar questões relacionadas ao exercício profissional e propor alternativas e melhorias. Para iniciar os trabalhos, no entanto, foi realizada uma pesquisa sobre as necessidades do farmacêutico paulista, entre junho e outubro de 2014, que norteam e continuarão dando as direções de nossas ações”, ressaltou.

Logo após, o gerente do departamento Jurídico do CRF-SP, dr. Roberto Tadao e o coordenador jurídico do Sinfar-SP, dr. Fabio Angelini esclareceram dúvidas dos convidados sobre alguns direitos e prerrogativas trabalhistas como condições de trabalho insalubres, condições econômicas, falta de EPI, condições sanitárias, arquivo de documento, espaço para serviços farmacêuticos e ambiente privativo para serviços burocráticos.

Para ilustrar e encerrar o evento, a gerente de Secretaria Central das Comissões de Ética do CRF-SP, dra. Luciane Ribeiro Neto, apresentou um case real de uma denúncia feita por uma farmacêutica ao CRF-SP sobre a imposição de metas de vendas.

São Paulo, 21 de agosto de 2015 

 

 

Assessoria de Comunicação CRF-SP

CLIQUE AQUI PARA CONSULTAR OUTRAS NOTÍCIAS